Página inicial

Blog do Canal

o weblog do canal contemporâneo
 


abril 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30            
Pesquise no blog:
Arquivos:
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
dezembro 2015
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
setembro 2012
agosto 2012
junho 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
novembro 2011
setembro 2011
agosto 2011
junho 2011
maio 2011
março 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
junho 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
maio 2009
março 2009
janeiro 2009
novembro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
maio 2008
abril 2008
fevereiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
agosto 2007
junho 2007
maio 2007
março 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
junho 2004
maio 2004
abril 2004
março 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

abril 19, 2017

César Meneghetti no MUBA, São Paulo

Projeto O Percurso Ausente apresenta diferentes vivências do artista mundo afora

O Museu Belas Artes de São Paulo (MUBA) apresenta O Percurso Ausente, uma introdução a produção artística de César Meneghetti, consolidada nos últimos anos no exterior e realizada em diversas partes do mundo. Esta plataforma abrirá precedente para um diálogo interdisciplinar abrangendo temas emergenciais, que abordam dois campos críticos aparentemente desconectados: grupos em territórios de fragilidade social e o uso criativo da tecnologia nas artes, relacionando-os para compreendermos plenamente o verdadeiro significado da vida e da criação em nosso tempo. Com curadoria de Tereza de Arruda, produção da Mega Cultural e colaboração do Coletivo Casadalapa, a abertura acontece dia 30 de março.

O artista traz para São Paulo uma seleção de trabalhos de longo percurso realizados em diversos países nos últimos 10 anos: Itália, Níger, Eslováquia, Vietnã e um último no Brasil, colaborando com o coletivo Casadalapa, da capital paulista. Estes trabalhos em geral duram vários anos de pesquisa e desenvolvimento, envolvem grupos de pessoas e questões relacionadas à territórios de fragilidade social. Desta forma, o projeto torna-se não só artístico, mas também um momento de reflexão e autorreflexão. Pessoas com deficiência aspirantes artistas, camponesas africanas, ecologistas vietnamitas que lutam contra os males da globalização, ou um grupo de moradores dos Campos Elísios (Cracolândia) são apresentados em sua verdade. Reflexões que apontam um modo diverso de elaborar um conceito do “outro”.

“Vou apresentar as obras This_Orient, K_Lab Interacing on the Reality Interface, Beloved Ones, I/O Eu é um Outro e Vidas em Obras, onde o público vai entender como é o meu trabalho. Por meio de fotos, intervenções e vídeos vou mostrar que eu não estava interessado em fazer filmes durante as minhas vivências, eu queria conhecer essas pessoas com as quais passei um tempo”, afirma Cesar.

O trabalho de Meneghetti oferece a oportunidade de investigar a alteridade, através de uma nova visão de si, oferece, ainda, a possibilidade e o direito de o grupo de pessoas envolvidas e não habituadas a participar de um diálogo no contexto social, cultural artístico deixar uma marca através das diversas linguagens.

O MUBA recebe a exposição pela sinergia que possui com o artista, inclusive, tecnologia e inclusão social são pilares da Belas Artes, instituição mantenedora do Museu.

Obras: THIS_ORIENT, K_LAB Interacing On The Reality Interface, Beloved Ones, I\O Eu É Um Outro e Vidas em Obras (Coletivo CasadaLapa).

Técnicas: Vídeo, fotografia, objeto, instalação, intervenção no espaço.

Nota: A intervenção VIDAS EM OBRAS (intervenção urbana) será realizada pelo coletivo Casadalapa de São Paulo. Participaram ao projeto VIDAS EM OBRAS: Atila Fragozo, Cauê Novaes, César Meneghetti, Júlio Dojcsar, Laura Guimarães, Murilo Taveira, Pedro Noizyman, Sato do Brasil, Silvana Marcondes e Zeca Caldeira.

CÉSAR MENEGHETTI é brasileiro, trabalha entre São Paulo, Berlim e Roma. Formado em Comunicação Visual pela Faculdade de Artes Plásticas da FAAP, especializou-se na Central-Saint Martins School of Art and Design, na City of London Polytechnic (mixed medias) e no Centro Sperimentale di Cinematografia, em Roma. O seu trabalho está centrado em problemáticas sociais, migração e ao conceito de fronteiras sejam elas políticas, sociais ou individuais, assim como à questão do outro antropológico nas relações entre os hemisférios norte e sul. Utiliza, além do meio audiovisual, a fotografia, a pintura, escultura e a instalação. Realizou diversas mostras, documentários, filmes e vídeo experimentais exibidos em mais de 40 países recebendo numerosos prêmios e reconhecimentos. César Meneghetti tem uma vasta produção artística sendo que a maior parte dela é inédita no Brasil. Vive em São Paulo. Marcou presença na 55ª BIENAL DE VENEZA, BIENAL DE SHARJAH, CERVEIRA, ADRIATICA, TEHERAN, LA PAZ e mostras em museus e galerias no exterior como o MAXXI, MACRO, El Museo Santa Fé, MLAC, Smith’s Gallery, Hit Gallery, Rosalux, Sacrow Schloss, TRASMEDIALE, Microwave Hong Kong, Palazzo Delle Esposizioni, Recyclart Brussels, Tokyo Videoart Center, Festival de Veneza, Festival de Locarno, London Film Festival, Festival de Turin, Habana Film Festival, Festival de Biarritz, Festival de Clermont Ferrant entre outros.

Coletivo CasadaLapa O trabalho pelo coletivo Casadalapa constituído por artistas visuais, designers, fotógrafos, cineastas, videoartistas, grafiteiros, cenógrafos, ativistas, educadores, antropólogos, Djs, Vjs, produtores culturais e cinematográficos independentes e que possuem em comum o caráter de se constituírem como ações colaborativas, entendendo o processo artístico como um processo de doação entre seus sujeitos e a sociedade.

Posted by Patricia Canetti at 9:20 PM