Página inicial

Arte em Circulação

 


dezembro 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            
Pesquise em
arte em circulação:

Arquivos:
dezembro 2017
novembro 2017
outubro 2017
setembro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
fevereiro 2017
janeiro 2017
dezembro 2016
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
abril 2016
março 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
março 2012
fevereiro 2012
dezembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
julho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
setembro 2008
maio 2008
abril 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
novembro 2004
junho 2004
abril 2004
março 2004
fevereiro 2004
janeiro 2004
dezembro 2003
novembro 2003
outubro 2003
setembro 2003
agosto 2003
As últimas:
 

dezembro 6, 2017

Exercício por Marcio Harum

Exercício

MARCIO HARUM

Com o apoio da Galeria Jaqueline Martins, a exposição coletiva exercício assinala o trabalho de 3 anos na condução do grupo de acompanhamento crítico em pintura que vem sendo realizado na cidade de São Paulo por Regina Parra e Rodolpho Parigi.

Neste período, diversos artistas das mais variadas procedências e faixas etárias passaram pelas atividades propostas por seus tutores. As experiências e as práticas de ateliê dos participantes diferem heterogeneamente - tanto em quesitos que vão desde a educação formal em artes, quanto a genuínas inclinações vocacionais, absolutamente experimentais, vivenciadas por parte de alguns deles. O deslocamento, que quer reagir ao sistema da arte da atualidade, surge muitas vezes como vibração propulsora. Há ainda aqueles que pintam movidos por uma saudável energia de diletantismo, e uns que também apresentam uma produção paralela, com forte presença do desenho, colagem, escultura, instalação e performance.

Está claro a todxs a condição de exígua espacialidade com a qual se faz reunir as obras selecionadas no ambiente expositivo. Um exercício de coragem. E de resistência.

Com uma visada detida, percebe-se a intensidade do trabalho que vem sendo gerado paulatinamente por este conjunto de artistas. Além de pinturas que estão sendo reveladas de maneira não definida por estranhos efeitos abstrato formalistas, nota-se, ao longo desta pesquisa, a profusão de surpreendentes portraits e selfies finalizados sob distintas técnicas. Outros aspectos empregados no reconhecimento e categorização que estão sendo considerados para esta tarefa são os que envolvem inquietantes noções de natureza-morta/ figuras de paisagem.

Nesta investigação curatorial em curso, há sem dúvida um interesse desperto pelos trabalhos de difícil classificação. O que está sendo proposto não é somente a organização de uma mera mostra, mas sim a tentativa de estabelecer um aprofundamento visual de observação, percepção, análise, compreensão e exibição de pinturas que convoquem ao exercício agudo da autocrítica. Os trabalhos escolhidos apontam para um exorcismo de reflexão acerca do desequilíbrio de nossas emoções - o cansaço, a solidão, a angústia no sentido do medo do presente e a ansiedade pela negação do futuro, com o qual convivemos elástica e constantemente em meio aos rumores de guerra em tempos de paz neste momento do mundo.

De nossa parte, o que está posto é o desejo e a sincera intenção do acontecimento. Por ora, a mostra exercício se mantém em suspensão como um estado psicológico de rara qualidade, aguardando apenas o seu irromper.

Marcio Harum
Novembro de 2017

Posted by Patricia Canetti at 12:50 PM